Alto Araguaia >> covid19/orientações

covid19/orientações

covid19/orientações

Uma das medidas para evitar a propagação do coronavírus (Covid-19), é a prevenção e isolamento social.

Durante esse período quais cuidados tomar para evitar o contagio da doença?

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão, por pelo menos 20 segundos ou na impossibilidade de lavar as mãos, use o álcool em gel 70%;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes;
  • Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel descartável ou com o braço, e não com as mãos;
  • Os objetos e superfícies tocados com frequência necessitam de limpeza e desinfecção diariamente;
  • Caso o indivíduo esteja doente, a recomendação é ficar em casa e evitar aglomeração de pessoas;
  • Manter os ambientes limpos e bem ventilados;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal como talheres, toalhas, pratos e copos;

 

Quais os principais sintomas que o coronavírus provoca?

Os principais sintomas do novo coronavírus são tosse, febre e falta de ar, além de mialgia (dores musculares). Mas apresentar esses sintomas não significa necessariamente que você tem o vírus. Os sintomas são semelhantes a outras doenças muito mais comuns, como gripes e resfriados. Portanto, é improvável que você esteja com o novo coronavírus se você não esteve em contato próximo com alguém com diagnóstico confirmado da doença ou se você não esteve em um país ou área com alto risco de novo coronavírus nos últimos 14 dias.

 

Como é considerado caso suspeito de coronavírus?

Caso suspeito é uma pessoa que possua os sintomas da doença, de forma isolada ou não, permanente, além de sintomas respiratórios e que tenha retornado de viagem ou que teve contato próximo com alguém infectado nos 14 dias antes do início dos sintomas.

 

O que fazer se esteve com pessoas ou locais com casos confirmados?

Após a infecção pelos vírus, os primeiros sintomas aparecem entre 2 e 14 dias. Logo, a pessoa deve ficar atenta ao surgimento dos sintomas como: febre, tosse, dificuldade para respirar, entre outros. Se apresentar algum desses sintomas, procure uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e informar sobre o possível contato com a pessoa infectada ou se tem histórico de viagem para os países que estão com circulação do vírus.

 

Quem corre o maior risco de contaminação?

Os idosos acima dos 60 anos e pessoas com doenças crônicas, como diabetes e doenças cardiovasculares. A recomendação é para que esse grupo de risco FIQUE EM CASA. Evite contato físico com outras pessoas e locais com aglomeração.

Caso utilize medicamento de uso contínuo, entre em contato com seu médico ou peça para algum familiar ir até o posto de saúde para buscar uma receita com validade ampliada, principalmente no período de outono e inverno. Isso reduz o trânsito desnecessário nos postos de saúde e farmácias.

 

Devo usar máscara para me proteger?

Dados científicos recentes constatam que a transmissão da COVID-19 pode ocorrer mesmo antes do indivíduo apresentar os primeiros sinais e sintomas. Por esse motivo, o Ministério da Saúde passou a recomendar o uso de máscaras faciais para todos. A utilização de máscaras impede a disseminação de gotículas expelidas do nariz ou da boca do usuário no ambiente, garantindo uma barreira física que vem auxiliando na mudança de comportamento da população e diminuição de casos.
Diante da insuficiência de insumos, foi solicitado aos cidadãos para que produzam a sua própria máscara de tecido, deixando as máscaras profissionais (cirúrgica e N95 ou similares) apenas para os profissionais da saúde.
O uso da máscara caseira ajuda na prevenção da COVID-19 desde que associada a outras medidas de prevenção, como:

  • O distanciamento social
  • Cumprimento da etiqueta respiratória
  • Higienização das mãos

Caso você opte por confeccionar uma máscara caseira, observe as seguintes recomendações:

  • Confeccionar a máscara com pelo menos duas camadas de pano, como algodão ou tricoline ou TNT
  • Ser individual
  • A máscara deve cobrir totalmente boca e nariz e ficar bem ajustada ao rosto.

Como usar a máscara caseira:

  • Lave as mãos com água e sabão, antes de retirar a máscara
  • Remova a máscara pelo laço ou nó da parte de trás e evite tocar na parte da frente
  • Deixe a máscara de molho por 30 minutos em uma mistura de 1 parte de água sanitárias (2% a 2,5%) com 50 partes de água potável. Por exemplo: 10ml de água sanitária para 500ml de água potável
  • Lave a máscara e as mãos com água e sabão.
  • A máscara precisa estar seca para ser utilizada de novo!
  • Após secagem da máscara utilize o com ferro quente e acondicionar em saco plástico.
  • Trocar a máscara sempre que apresentar sujidades ou umidade.
  • Descartar a máscara sempre que apresentar sinais de deterioração ou funcionalidade comprometida.
  • Ao sinal de desgaste da máscara deve ser inutilizada e nova máscara deve ser feita

 

Qual a probabilidade de eu pegar o coronavírus?

O risco imediato de ser exposto ao novo coronavírus ainda é baixo para a maioria das pessoas, mas à medida que o surto se expande, esse risco aumenta. Casos de COVID-19 e casos de transmissão comunitária estão sendo relatados em um número crescente de estados. Caso você seja profissional de saúde que cuide de pacientes com COVID-19, ou tenha contato íntimo com pessoas com COVID-19, ou viaje para países onde haja transmissão comunitária, o risco de contágio é elevado.

 

Qual o método e período adequado para saber se contrai o coronavírus?

Por meio de um exame específico para detectar material genético do vírus em secreção do nariz e/ou garganta do paciente, colhida por um cotonete ou por aspiração, método chamado de RT-PCR (técnicas de biologia molecular para detectar se o vírus SARS-CoV-2 está presente no corpo).  A coleta deve ser realizada preferencialmente a partir do terceiro dia após o início dos sintomas e até o décimo dia. O mesmo é encaminhado para o laboratório credenciado pela Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES-MT) da Universidade Federal de Rondonópolis (UFR), e leva até quatro dias para emitir o resultado.

Há ainda o método de teste rápido que rastreia a resposta imunológica do corpo em relação ao vírus, que é feito através da detecção de anticorpos (IgM/IgG) em pessoas que foram expostas. Este teste deve ser realizado pelo menos 10 dias após o aparecimento dos sintomas da COVID-19.

 Em Alto Araguaia os testes são feitos seguindo todas as recomendações de higiene e segurança. Para ambos os testes, a coleta é realizada nas unidades básicas de saúde e Hospital Municipal à partir do período de início de sintomas e desde que o paciente tenha sido notificado.

 

 

 

Dados obtidos no site do Ministério da Saúde.  https://coronavirus.saude.gov.br/