O município foi um dos primeiros a fazer a adesão do projeto do Governo Federal.

Foto ilustrativa: Sergio Cardoso

Projeto contempla escolas da zona urbana e rural de Alto Araguaia.

As escolas municipais de Alto Araguaia (415km de Cuiabá) serão contempladas com o novo programa do Governo Federal, intitulado Política de Inovação Educação Conectada. Esta inciativa, visa levar Internet de alta velocidade e universalizar o acesso nas escolas públicas. O programa também abrange a formação de professores para o melhor aproveitamento das novas tecnologias em práticas pedagógicas.

O município sul mato-grossense foi um dos primeiros a fazer a adesão deste projeto e espera a implantação do programa para o próximo ano. “Nós acreditamos que, com o início da Educação Conectada, nossos alunos, principalmente da zona rural que possuem problemas frequentes com o acesso à rede, sejam beneficiados e melhorem o desempenho em sala de aula”, comenta a titular da Secretaria de Educação (Semed), Kátia Simone Borges Almeida.

Com três netos frequentando a rede municipal de ensino, Aguimar da Silva Cardoso, 44 anos, fala que eles possuem dificuldade na hora de realizar os trabalhos pedidos pela escola, principalmente da neta que cursa a 6ª série. “Os dois mais novos de seis e oito anos, ainda não tem muitos problemas porque as pesquisas são simples e nos próprios livros, mas a mais velha, de 12, faz as atividades com a internet do celular. Isso acaba levando um tempo a mais e não é o ideal”, comenta a doméstica.

A expectativa de Aguimar é que com a implantação do programa, os netos tenham mais oportunidades de estudos. “Agora, sabendo do programa Educação Conectada, meus netos poderão realizar seus trabalhos na própria escola e com o auxílio dos professores para aprenderem da melhor forma”, finaliza.

 

O PROGRAMA – De acordo com o Ministério da Educação (MEC), a nova política é uma parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Invocações e Comunicações (MCTIC). Nesta fase de implantação do projeto, até final de 2018, a intenção é investir R$ 271 milhões. Cerca de R$255,5 milhões serão voltados para melhoria de infraestrutura e conexão das escolas, os outros R$15,5 milhões financiarão a formação de articuladores locais e construção de plataforma para cursos on-line de capacitação dos educadores.

“Para termos qualidade, precisamos de uma base comum definida, professores bem formados, preparados e valorizados, e tecnologia que proporcione aquilo que o mundo desenvolvido já alcançou. É justamente o intento desse projeto: queremos que a infraestrutura avance, garantindo conectividade com a internet que vem de fora e com a distribuição dos sinais dentro da escola”, enfatizou Mendonça Filho, ministro da Educação.

O objetivo do MEC é que até o final do próximo ano, 22,4 mil escolas, urbanas e rurais, recebam conexão de alta velocidade. O processo será concluído em todas as demais escolas públicas até 2024.

LEIA MAIS